quinta-feira, 29 de setembro de 2011

"O que Deus Uniu o Homem não Separa"

O encontro com ele foi uma explosão de luz e sentimentos que pareciam recalcados… senti-me voltar a casa... em paz... em total sintonia com ele... tive a certeza que era a minha alma gémea pelo olhar… chegou a incomodar-me e a fazer-me evitar fita-lo…
Sempre foi um amor genuíno, capaz de tudo...

Li que, o encontro das almas gémeas, normalmente não é despido de conflitos, e na maioria das vezes, a união acontece quando uma das duas ou mesmo as duas partes estão a passar momentos difíceis ou dúbios… “quando se enfrentam problemas, elevamos os nossos pensamentos a esferas espirituais, o que facilita…o contacto mais directo com a nossa alma gémea.”

E… contrariamente ao que costuma acontecer… ele estava muito próximo de mim e ambos… procurávamos tão longe… “Nada acontece por acaso, mas precisamos estar preparados para reconhecer a felicidade que nos bate à porta. (...) Para identificar a sua alma gémea o primeiro passo é ver as pessoas como elas são e não como você gostaria que elas fossem. “
Apesar de muitas diferenças, aceitei-o sem preconceitos, sem discriminação… com todo o meu desejo e amor por ele… com toda a vontade de estarmos juntos…

Naquela noite… alertei-o para o reconhecimento… Dei a entender que já o conhecia… Que me era “familiar”… Principalmente… através daquele olhar… tive acesso a praticamente tudo…
Mesmo em momentos mais efusivos, olho-o nos olhos e quebro… mantém-se… é ele, sem dúvida alguma… esse registo leio nos olhos dele…“Para cada um de nós existe uma pessoa especial. Pode nos parecer diferente, mas nosso coração a reconhece. A nossa mente pode interferir. "Eu não te conheço". Mas o coração sabe. Ao tomar a nossa mão pela primeira vez, a lembrança daquele toque transcende o tempo e quando ele (a) olha em nossos olhos, vemos um espírito companheiro que vem nos acompanhando há séculos.”
Tantas certezas e ao mesmo tempo tanta confusão na minha cabeça… Tão pouco racional…
E… a cada toque…  aquele beijo… comprovou a ambos tudo aquilo que senti, no primeiro segundo…

“Percebemos uma súbita sensação de familiaridade, de conhecer aquela pessoa em níveis mais profundos do que a mente consciente poderia alcançar. Sabemos intuitivamente o que dizer, como ela vai reagir. Um sentimento de segurança e uma confiança muito maior do que se poderia atingir em anos de convivência. Nem todos estão prontos para ver imediatamente. Há um ritmo nisso tudo, e a paciência pode ser necessária àquele que percebe primeiro.Um olhar, um sonho, uma lembrança, uma sensação podem fazer com que despertemos para a presença do espírito companheiro que atravessa os séculos para nos beijar mais uma vez e lembrar-nos de que estamos juntos sempre, até o fim dos tempos.”
E... todos os sonhos que tive... este filho que Deus nos enviou, que superou, ainda no meu ventre inumeras situações, protegido de tudo e todos por mim, é o reflexo de tudo isto... A minha experiência enquanto mulher e ser humano, continua a alimentar a minha fé nos mistérios da vida... e, agradecer a cada dia por tudo o que me tem sido dado...

Sem comentários:

Enviar um comentário