sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A praia deserta esperava-os...
consentiu aquele amor...
mãos entrelaçadas comprimiam-se
numa aceitação,
ambos com o mesmo desejo... 
... perderam-se em olhares, em fantasias...
a areia sentiu o peso dos corpos,
de duas almas...
a calma do mar, daquele lugar,
envolveu-os e eles sentiram...
Apesar de dois amantes que tudo podiam, perderam-se... 
porque só assim se podiam encontrar.


Sem comentários:

Enviar um comentário